close
pai eu te amo e sinto sua falta!
Arte feita com caneta posca branca sob papel rosa.

Dizem que nas redes sociais só postamos momentos de alegria e plenitude. Eu acho que é possível dosar. Às vezes nossa dor é compartilhada por outros e nos sentimos menos sozinhos no mundo.

Meu pai faleceu em 2015. O excesso de álcool e fumo acarretou em uma série de problemas de saúde e ele não aguentou. Ele morava em Goiás, na época, e nos víamos muito pouco, nos falávamos por telefone de vez em quando. Uma relação abalada também pelo excesso de álcool.

Lembro que recebi muito mal a notícia de que ele não estava bem. Pela forma como ele vivia, sabia que a qualquer momento esse telefonema ia chegar. Mas na real, mesmo pensando na possibilidade, nunca estamos preparados. A tristeza com a ideia de que poderiam ser seus últimos dias me pegou e por meses sofri de pensar que ele estava sofrendo em uma cama de hospital.

Por fim, acabei sendo internada por conta de uma apendicite, e enquanto me recuperava veio a notícia de que ele faleceu. Para minha surpresa, meu coração ficou calmo e aliviado. “A dor dele finalmente acabou”, pensei.

Me senti muito mal por estar aliviada, mas por outro lado, foi a primeira vez em mais de uma década que tinha certeza que meu pai estava em paz.

Hoje só nos resta a saudade e lembrar os bons tempos quando o álcool ainda não era um problema e tínhamos bons momentos de pai e filha. Quando viajamos juntos, desenhávamos, quando acabava a aula e ele me esperava na porta pra irmos pra casa de ônibus, quando passava o dia com ele no escritório e muitas outras lembranças boas.

Quando a saudade bate forte demais eu olho pra as minhas mãos (que são iguais a dele) e para a alcachofra que tatuei em sua homenagem, e lembro que ele faz parte de mim e está sempre comigo.
Serei sempre agradecida pelo aprendizado que ele me deixou, nos momentos bons e nos ruins também.

Feliz dia dos pais para todos.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go top